Ir para Conteúdo

Associação DNS.PT é formalmente constituída

14-05-2013
Associação DNS.PT é formalmente constituída
14-05-2013
A Associação DNS.PT, que irá assumir a responsabilidade pela gestão e operação do ccTLD.PT, acaba de ser formalmente constituída, iniciando funções a partir do dia 1 de junho de 2013.

A associação privada sem fins lucrativos, liderada por Luísa Lopes Gueifão, terá como objetivo a gestão, operação e manutenção do registo do domínio de topo correspondente a Portugal, .pt, e tendo como base os princípios da transparência e publicidade, os presentes Estatutos e as melhores recomendações nacionais e internacionais a nível técnico, administrativo e estratégico que lhe sejam aplicáveis.

A Associação DNS.PT tem como fundadores a FCT, IP - Fundação para a Ciência e a Tecnologia, IP (FCT), Associação do Comércio Eletrónico e Publicidade Interativa (ACEPI), Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (DECO) e o representante designado pela IANA – Internet Assigned Numbers Authority como responsável pela delegação do ccTLD.pt.
Luisa Lopes Gueifão, presidente do Conselho Diretivo, salienta que "A Associação DNS.PT é constituída com o propósito de cumprir uma estratégia de atuação de acordo com as boas práticas internacionais ao nível da estabilidade, segurança e resiliência do serviço DNS. Queremos garantir que esta nova entidade assentará, em termos de gestão, no modelo internacional multistakeholder, espelhado desde logo na ampla participação do seu conselho consultivo, que contará com representantes de entidades como a ANACOM, Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), Sociedade Portuguesa de Autores, entre outros".

Vasco Colaço, Presidente da Direção da DECO – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor realça que "O objetivo da criação da Associação DNS.PT tem uma importância reconhecida também para os consumidores portugueses como utilizadores de um sistema legal, seguro e eficaz.  Esta exigência justifica a participação da DECO neste grupo diversificado de sócios fundadores que com a sua participação ajudam a credibilizam todo o processo. O papel da Associação DNS.pt é garantidamente determinante para os consumidores, para as empresas e para a economia nacional".

"A ACEPI, enquanto principal associação da área da economia digital que tem por missão a promoção e desenvolvimento das diversas formas de negócio digital, congratula-se com o nascimento da DNS.pt de que é membro fundador. Estamos certos de que uma associação como a DNS.pt,  tem todas as condições necessárias para garantir a boa gestão dos domínios .pt, que é fundamental para acelerar o desenvolvimento da internet em Portugal, contribuindo assim para  aumentar a competitividade do nosso país, e das empresas portuguesas,  no cenário mundial da Internet. Este é mais um passo estratégico para que Portugal se posicione, de forma inequívoca, no cenário internacional da economia digital assumindo o papel que lhe cabe," afirma Alexandre Nilo Fonseca, Presidente da Direção da ACEPI que é membro fundador da DNS.pt.
A Associação DNS.PT é constituída com o propósito de cumprir uma estratégia de atuação de acordo com as boas práticas internacionais ao nível da estabilidade, segurança e resiliência do serviço DNS. Queremos garantir que esta nova entidade assentará, em termos de gestão, no modelo internacional multistakeholder, espelhado desde logo na ampla participação do seu conselho consultivo, que contará com representantes de entidades como a ANACOM, Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), Sociedade Portuguesa de Autores, entre outros"

Esta associação agora criada vem assim agregar o trabalho prosseguido pela Fundação para a Computação Científica Nacional (FCCN),após integração desta entidade na Fundação para a Ciência a Tecnologia, I.P., na sequência da Resolução do Conselho de Ministros, a 14 de Fevereiro de 2013 e posterior publicação do Decreto-Lei nº 55/2013, de 17 de Abril. . "Cumpre-se, assim, um dos propósitos espelhados naquele diploma e que a FCT, IP ao participar pretende garantir: "a independência e autonomia da gestão do domínio de topo de Portugal, o .PT", afirma o Presidente da FCT, Prof. Miguel Seabra.